É Brasil no surfe de seis na onda olímpica

Brasil vence Jogos Mundiais de Surf no Japão, Ítalo é ouro e Medina bronze

 

Brasil faz 4060 pontos, Ítalo Ferreira leva ouro e Medina bronze

Meh

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas no palco e atividades ao ar livre

Brasil Foto Ben Reed ISA

Ítalo Ferreira, com direito a nota 10 e  média recorde 17,77 na final, comandou o show de surfe neste domingo e de todo o ISA Jogos Mundiais de Surf em Kisakihama, Miyazaki, Japão, evento que o Brasil venceu entre 55 seleções e que para países de quatro continentes valeu vagas olímpicas.

Nota 10

Ferreira parecia desafiar a gravidade ao pousar esse ar de rotação completa para ganhar a primeira corrida de 10 pontos do evento.  Foto: ISA / Sean Evans

Ítalo Ferreira foto Sean Evans ISA

Ítalo arriscou tudo ao executar de costas para a onda um aéreo com rotação completa no ar, o que lhe garantiu nota 10 e  dominar já no início o confronto de reação tardia do americano Kolohe Andino que no

minuto final fez 9,43 indo a 17,06 pontos e tomando a prata do paulista bicampeão mundial Gabriel Medina (14,53), bronze com terceiro lugar na decisão em que o japonês Shun Murakami com 1143 foi quarto vindo da mesma última repescagem que o campeão Ítalo Ferreira também encarou.

 "Foi uma disputa super incrível", disse. Ítalo Ferreira.

 “Quero parabenizar todos os surfistas e países aqui presentes.Estou tão cansado que foram muitas manobras com muitos momentos emocionantes. Eu apenas tentei mostrar o meu melhor surf. ” finalizou o surfista de Baía Formosa, no litoral sul do Rio Grande do Norte.

 Superação Na decisão deste domingo Ítalo foi para o topo das estatísticas da prova em que sua primeira participação já foi superando dificuldades externas.Antes da ida ao Japão, furtaram nos Estados Unidos documentos como seu passaporte e foram vários problemas consequentes, além de tufões antes do seu desembarque atribulado e com atraso em Miyazaki. quando então sequer teve tempo de pegar a bagagem e competiu de bermuda de passeio e com prancha emprestada por Filipe Toledo, líder do circuito mundial e companheiro de seleção. 

 O aeroporto fica próximo da praia das disputas, a de Kisakihama, que Ítalo só conheceu faltando nove minutos para o fim da sua  bateria de estreia nos Jogos Mundiais de Surf, uma verdadeira superação coroada com o título entre os homens e com o selecionado do Brasil conquistando seu primeiro título coletivo da Associação Internacional de Surf (ISA)  em quase 20 anos.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, criança e atividades ao ar livre

Vitória de seleção

O Brasil conquistou o título por países já quando garantiu no mínimo 3723 pontos com a confirmação de Ítalo se somar a Gabriel Medina na decisão em que o Brasil era o único com dois finalistas.

 Pontos de todos

 Antes do sucesso da dupla o time do Brasil se destacara entre seleções com o vice-campeonato da cearense Silvana Lima junto com a quinta posição de gaúcha Tatiana Weston Webb e a vigésima quinta posição da catarinense Tainá Hinckel, que garantiram vantagem para o Brasil de 90 pontos em relação ao então segundo colocado Peru e de 185 a mais que o então quarto do ranking Estados Unido.

"Foi uma disputa super incrível", disse Ferreira. “Quero parabenizar todos os surfistas e países daqui.Estou tão cansado pois foram muitas manobras com muitos momentos emocionante. Eu apenas busquei mostrar o meu melhor surf." concluiu o campeão  

 Rumo a Tóquio

 "Todos da delegação estão de parabéns, nosso sexteto foi fantástico e as três medalhas de hoje se somam a de prata da Silvana Lima, e as boas performances de Tatiana Weston-Webb e Tainá Hinckel, sem falar de Filipe Toledo, que só foi parado por um problema médico mas também foi muito importante e teve destaque. Somos time Brasil !" exaltou Adalvo Argolo, presidente da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), que disse acreditar que não só os dois homens mas também as duas mulheres paraas Olimpíadas Tóquio 2020 se definirão até dezembro todos pelo circuito mundial, hoje liderado por Toledo com Gabriel em quarto e Ítalo em sexto. 

  Felipe Toledo, paulista líder do circuito mundial, foi obrigado a parar de competir devido a uma lesão recorrente que voltou a sentir após encarar as pesadas condições de mar e ondas já no sábado, em que ele assumira a condição de dono do maior somatório que só o compatriota Ítalo veio a superar na bateria que valeu título individual e o Brasil chegar aos 4060 pontos contra 3415 do vice Estados Unidos, que perdeu a corrida do título já quando o maior ídolo do surfe mundial, o onze vezes campeão do mundo Kelly Slater ficou na última repescagem, enfrentada com sucesso por Ítalo e pelo japonês finalista Shun Murakami.

Resultados:

Ranking países

Ouro - Brasil 4060

Prata - EUA 3415

Bronze - Japão 2680

Cobre - Peru 2610

5 - África do Sul 2485

6 - Austrália 2261

7 - Nova Zelândia 2198

8 - Costa Rica 2147

9 - Espanha 2108

10 - Canadá 2083

 

Open Men:

Ouro - Italo Ferreira (Brasil)

Prata - Kolohe Andino (EUA)

Bronze - Gabriel Medina (BRA)

Cobre - Shun Murakami (JPN)

 

Aberto das Mulheres (terminou 10 de setembro ):

Ouro - Sofia Mulanovich (Peru)

Prata - Silvana Lima (Brasil)

Bronze - Bianca Buitendag (Africa do Sul)

Cobre - Carissa Moore (Estados Unidos)

 

Qualificação provisória de Tóquio 2020:*

 

Homens:

Shun Murakami (Japão)

Ramzi Boukhiam (Marrocos)

Billy Stairmand (Nova Zelândia)

Frederico Morais (Portugal)

 

Mulheres:

Shino Matsuda (Japão)

Anat Lelior (Israel)

Bianca Buitendag (África do Sul)

Ella Williams (Nova Zelândia)

 

  * Mais Lucca Mesinas e Daniela Rosas do Peru, pelos títulos no Pan Lima 2019